quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

ENDOCRINOLOGIA –NEUROENDOCRINOLOGIA: HIPERATIVIDADE E DÉFICIT DE ATENÇÃO - O TRATAMENTO PREJUDICA O CRESCIMENTO ESTATURAL.

O presente estudo avaliou a influência de drogas estimulantes usadas no déficit de atenção e hiperatividade no crescimento estatural. Uma revisão de literatura coletando artigos publicados sobre déficit de atenção e hiperatividade e sua relação com a baixa estatura. A fonte consultada foi o Pubmed e o tópico levantado foi "Crescimento e Metilfenidato"/"Déficit de atenção e hiperatividade versus baixa estatura"/"Metilfenidato e distúrbios de crescimento". Os transtornos de atenção e hiperatividade constituem-se em situações clínicas difíceis, por interferir no bem-estar da criança e no seu relacionamento social, com prejuízos de seu desenvolvimento escolar. 
Não é raro a criança, juvenil ou adolescente, ser punido pelo mestre por não estar prestando atenção nas aulas, ou brincando de forma a incomodar seu coleguinha que não apresenta a mesma patologia. Quando o professor mais atento presta a atenção e percebe que não se trata de uma atitude adequada, orientando os pais para procurar ajuda médica de profissional da área, o benefício pode ser útil à criança ou juvenil. Uma vez feito o diagnóstico, as medicações estimulantes como o metilfenidato têm papel primordial no tratamento, mas muito se teme com relação a certos efeitos colaterais, particularmente a perda de peso e a perda estatural. Revisou-se uma série de publicações a respeito e pôde-se verificar que não há consenso sobre tais efeitos colaterais, mas que, mesmo quando ocorrem, não são suficientemente intensos para impedir o tratamento. Um julgamento da relação custo-benefício da medicação é sempre apropriado, mas os benefícios obtidos com a medicação e com a melhora do rendimento escolar e das relações sociais da criança não devem ser esquecidos. Uma cuidadosa monitorização da curva pondo-estatural permite que o médico, principalmente o endocrinologista ou neuroendocrinologista, vigie com segurança o tratamento prescrito e possa tomar decisões se julgar que o prejuízo estatural compromete o bem-estar do paciente, levando a criança, infanto–juvenil ou adolescente a uma baixa estatura e outros problemas que acompanham os sinais e sintomas desta síndrome. Diversos pesquisadores têm aconselhado que mesmo os pacientes com doses normais de HGH – hormônio de crescimento deve em caso de estatura deficiente em comparação ao razoável, ser tratados com HGH – hormônio de crescimento por DNA – recombinante, pois sempre as crianças terão algum benefício positivo com os resultados.


AUTORES PROSPECTIVOS

Dr.João Santos Caio Jr.
Endocrinologia– Neuroendocrinologista 
CRM20611

Dra.Henriqueta V. Caio 
Endocrinologista– Medicina Interna 
CRM28930


Como Saber Mais: 
1. A influência de drogas estimulantes usadas no déficit de atenção e hiperatividade no crescimento estatural... 


2. Uma revisão de literatura coletando artigos publicados sobre déficit de atenção e hiperatividade e sua relação com a baixa estatura... 

3. Uma cuidadosa monitorização da curva pondo-estatural permite que o médico, principalmente o endocrinologista ou neuroendocrinologista, vigie com segurança o tratamento prescrito... 


AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO
DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA. 

Referências Bibliográficas: 
Prof. Dr.João Santos Caio Jr, Endocrinologista, Neuroendocrinologista, Dra. Henriqueta Verlangieri Caio, Endocrinologista, Medicina Interna-Van DerHäägen Brazil – São Paulo –Brasil, 
Autores: KS Alatzoglou, MT Dattani 
Revista: Nat Rev Endocrinol (Comentários de Endocrinologia da Natureza).. 
Volume: 6 Edição: 10 Páginas: 562-76 
Pubmed

Contatos: 
Fones: 55(11) 5087-4404 ou 6197-0305
Nextel: 55(11) 7717-1257 
ID:111*101625
Rua Estela, 515 - Bloco D - 12º andar - Conj 121/122
Paraiso - São Paulo - SP - Cep 04011-002
e-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com
drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com
vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com

Site Clinicas Caio


Site Van Der Häägen Brazil

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

ENDOCRINOLOGIA – NEUROENDOCRINOLOGIA: CAUSAS GENÉTICAS E TRATAMENTO DA DEFICIÊNCIA ISOLADA DE HORMONIO DE CRESCIMENTO, HGH, SOMATOTROFINA, UMA ATUALIZAÇÃO.

A deficiência isolada do GH-HORMÔNIO DE CRESCIMENTO, é a deficiência do hormônio hipofisário (hormônio de crescimento produzido pela glândula hipófise localizada no sistema nervoso central) mais comum, e pode resultar de causas congênitas ou adquiridas, embora a maioria dos casos não é de fácil identificação a causa provável (etiologia). São conhecidos genes envolvidos na causa (etiologia) genética da deficiência isolada do hormônio de crescimento, incluem os que codificam o hormônio do crescimento (GH1), o crescimento do hormônio liberador de receptores hormonais (GHRHR) e (SOX3) fatores de transcrição ou de comando. No entanto, mutações são identificadas em um percentual relativamente pequeno de pacientes, o que sugere que outros fatores ainda estão em avaliação para melhor identificação, que são os outros fatores genéticos que estão envolvidos. Entre os fatores conhecidos, mutações em um par de genes, sendo um dominante e outro não dominante no hormônio de crescimento-GH (heterozigoto no GH1) permanecem como a causa mais frequente de deficiência isolada do hormônio do crescimento, HGH.
Implicações clinicas das mutações genéticas do hormônio de crescimento-gh em pacientes com deficiência ou não do hormônio de crescimento-gh. A identificação de mutações tem implicações clínicas para o tratamento de pacientes com esta condição, como indivíduos com (heterozigoto GH1) mutações no fenótipo variam e podem, em alguns casos, desenvolver adicionais deficiências de hormônio do crescimento. Ao Longo da Vida acompanhamento desses pacientes é, portanto, recomendado. Novos estudos envolvendo a etiologia genética da deficiência isolada do hormônio do crescimento vai ajudar a elucidar os mecanismos envolvidos no controle do crescimento e pode influenciar futuras opções de tratamento. Avanços na farmacogenômica poderá otimizar o tratamento da deficiência isolada do hormônio do crescimento do HGH e outras condições associadas com baixa estatura, para os quais o hormônio do crescimento humano por DNA recombinante é uma terapia licenciada segura e importante, pois ajudará preventivamente os avanços sérios que vem ocorrendo com essa evolução.


AUTORES PROSPECTIVOS

Dr.João Santos Caio Jr.
Endocrinologia– Neuroendocrinologista 
CRM20611

Dra.Henriqueta V. Caio 
Endocrinologista– Medicina Interna 
CRM28930


Como Saber Mais: 
1. Novos estudos envolvendo a etiologia genética da deficiência isolada do hormônio do crescimento vai ajudar a elucidar os mecanismos envolvidos no controle do crescimento e pode influenciar futuras opções de tratamento... 


2. Entre os fatores conhecidos, mutações em um par de genes, sendo um dominante e outro não dominante no hormônio de crescimento-GH (heterozigoto no GH1) permanecem como a causa mais frequente de deficiência isolada do hormônio do crescimento, HGH... 

3. vanços na farmacogenômica poderá otimizar o tratamento da deficiência isolada do hormônio do crescimento do HGH e outras condições associadas com baixa estatura, para os quais o hormônio do crescimento humano por DNA recombinante é uma terapia licenciada segura... 


AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO
DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA. 

Referências Bibliográficas: 
Prof. Dr.João Santos Caio Jr, Endocrinologista, Neuroendocrinologista, Dra. Henriqueta Verlangieri Caio, Endocrinologista, Medicina Interna-Van DerHäägen Brazil – São Paulo –Brasil, 
Autores: KS Alatzoglou, MT Dattani 
Revista: Nat Rev Endocrinol (Comentários de Endocrinologia da Natureza).. 
Volume: 6 Edição: 10 Páginas: 562-76 

Contatos: 
Fones: 55(11) 5087-4404 ou 6197-0305
Nextel: 55(11) 7717-1257 
ID:111*101625
Rua Estela, 515 - Bloco D - 12º andar - Conj 121/122
Paraiso - São Paulo - SP - Cep 04011-002
e-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com
drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com
vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com

Site Clinicas Caio


Site Van Der Häägen Brazil

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

ENDOCRINOLOGIA – NEUROENDOCRINOLOGIA: HORMÔNIO DE CRESCIMENTO UMA SUBSTÂNCIA VITAL PRODUZIDA DURANTE TODA A VIDA DE UM SER HUMANO, DESDE A CONCEPÇÃO ATÉ A FASE ADULTA, E É ESSENCIAL PARA QUE SOBREVIVA.

O GH hormônio do crescimento é secretado durante toda a vida de uma pessoa, e sua atuação mais conhecida está na promoção do crescimento. Além da altura, entretanto, a deficiência do GH hormônio do crescimento afeta muitos sistemas no organismo, incluindo metabolismo de gorduras, proteínas e metabolismo ósseo. O GH hormônio do crescimento, por esta razão, é prescrito não somente para crianças, mas também para adultos com deficiência de GH. Considerando suas duas principais indicações, devemos levar em consideração o crescimento criança, infanto juvenil, adolescente: falta de GH (deficiência de GH), Síndrome de Turner, Doenças Renais Crônicas, Crianças nascidas pequenas para a idade gestacional (PIG). Indicações em Adultos, Deficiência de GH (GHD). Deficiência de GH (GHD) em crianças. Deficiência de hormônio do crescimento é uma condição em que o organismo da criança falha na produção da quantidade adequada de hormônio do crescimento, causando um atraso do crescimentoA GHD - Deficiência de hormônio do crescimento, pode estar presente no nascimento, ou pode aparecer em qualquer fase da infância ou idade adulta. É geralmente causada pela falha da glândula hipófise na produção dos níveis adequados de hormônio do crescimento. Tais deficiências podem ocorrer, por vezes, como consequência de alguns tipos de tratamentos médicos, como radioterapia ou cirurgia cerebral, ou devido à uma condição preexistente, como um tumor cerebral ou Síndrome de Silver Russell. Algumas vezes podem ser o resultado de um defeito hereditário. Entretanto, para a maioria dos pacientes, a razão para a falta de hGH é desconhecida. Classificação da Deficiência de Hormônio do Crescimento: A deficiência de Hormônio do Crescimento (GHD) pode se manifestar em graus variados e ter muitas causas diferentes. Por ocasião do diagnóstico, o médico fará perguntas sobre a história médica do paciente, realizará um exame físico e solicitará exames, a fim de obter o máximo de informação possível sobre a condição. HIPÓFISE - Os médicos utilizam os seguintes critérios para classificar Deficiência de Hormônio do Crescimento (GHD): Idade por ocasião do diagnóstico; Tipo de deficiência; Grau de deficiência; Local da deficiência; Causa da deficiência. Idade por ocasião do diagnóstico. Início na infância, Início no adulto. Esta classificação é feita levando-se em conta se o paciente havia parado ou não seu crescimento por ocasião do diagnóstico (geralmente as pessoas param de crescer ao redor dos 19 anos). Tipo de deficiência: Isolada, Múltipla. O tipo de deficiência (isolada ou múltipla) dependerá se o paciente tem deficiência também de outros hormônios hipofisário, além da GHD. O hormônio do crescimento é produzido pela glândula hipófise. Estas secreções de vários hormônios diferentes, que também são essenciais para manter as funções normais do organismo. Grau de deficiência. GHD parcial, GHD grave. São empregados testes de estímulo para determinar o grau de deficiência do hormônio de crescimento em pacientes. Local da deficiência. Primária - origem hipofisário, Secundária - origem hipotalâmica. Conforme descrito acima, a hipófise secreta o hormônio do crescimento. Entretanto, uma parte do cérebro conhecida como hipotálamo regula a secreção do hormônio do crescimento pela hipófise. Deste modo, a deficiência de hormônio do crescimento pode ter origem na hipófise ou no hipotálamo. O importante é detectar a disfunção e corrigi – la o mais precoce possível.


AUTORES PROSPECTIVOS

Dr. João Santos Caio Jr. 
Endocrinologia-Neuroendocrinologista 
CRM 20611

Dra. Henriqueta V. Caio 
Endocrinologista – Medicina Interna
CRM 28930



Como Saber Mais:
1. A cada dia que passa a medicina agrega outras funções para o HGH – hormônio de crescimento, como maior função cognitiva, diminuição da osteoporose, diminuição da gordura principalmente a visceral...

2. DNA – recombinante fosse específico para cada hormônio, sem identificar o doador humano...
http://deficienciahormonal.blogspot.com


3. Este fato está relacionado com a mudança radical que ocorreu no final da década de 80 do século XX, embora já se usasse o DNA- recombinante esta mudança radical com relação ao hormônio de crescimento... 
http://hormoniocrescimentoadultos.wordpress.com

AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO
DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA.

Referências Bibliográficas:
Prof.Dr. João Santos Caio Jr, endocrinologista,neuroendocrinologista, Dra Henriqueta Verlangieri Caio, endocrinologista,medicina interna-Van Der Häägen Brazil – São Paulo –Brasil, Kyriaki S. Alatzoglou, MD-Fellow de Pesquisa Clínica, UCL Institute of Child Health, em Londres, Reino Unido; Mehul T. Dattani, MD, DCH, MBBS, FRCPCH, FRCP-Professor de Endocrinologia Pediátrica, UCL Institute of Child Health; Great Ormond Street Hospital for Children, em Londres, Reino Unido; Vicky Heath-Editor Chefe, Nature Reviews Endocrinologia; Laurie Barclay, MD-escritor Freelance e revisor, Medscape, LLC 
Sarah Fleischman-Gerente do Programa CME, Medscape, LLC; Laurie E. Scudder, DNP, NP-CME Acreditação Coordenador, Medscape, LLC.


Contatos:
Fones: 55(11) 5087-4404 ou 6197-0305
Nextel: 55(11)7717-1257
ID:111*101625
Rua Estela, 515 - Bloco D - 12º andar - Conj 121/122
Paraíso - São Paulo - SP - Cep 04011-002
e-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com
drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com
vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com 

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

ENDOCRINOLOGIA – NEUROENDOCRINOLOGIA: DEVIDO SUA IMPORTÂNCIA VITAL DURANTE TODA A VIDA DO SER HUMANO, O HGH-HORMÔNIO DE CRESCIMENTO, SOMATOTROFINA, OU COMPOSTO 191 (191) AMINOÁCIDOS É UM DOS HORMÔNIOS MUITO ESTUDADO.

Entretanto ainda existem diversos esclarecimentos positivos a serem integrados ao seu conhecimento, o estimulo do hormônio através de exercício fisico por um limite de tempo, onde ocorrerá uma estimulação na produção do hormônio de crescimento e poderá facilitar o médico especialista (endocrinologista ou neuroendocrinologista), a obter uma resposta se está ocorrendo ou não uma alteração do parâmetro adequadamente, e poderá com experiencia eventualmente evitar teste menos agressivos. Embora o HGH-hormônio de crescimento, somatotrofina, ou composto 191 (191 aminoácidos) seja um dos hormônios mais estudados, vários de seus aspectos fisiológicos ainda não estão integralmente esclarecidos, incluindo sua relação com o exercício físico. Estudos mais recentes têm aumentado o conhecimento a respeito dos mecanismos de ação do HGH-hormônio de crescimento, somatotrofina, ou composto 191 (191 aminoácidos), podendo ser divididos em: 1) ações diretas, mediadas pela rede de sinalizações intracelulares, desencadeadas pela ligação do HGH-hormônio de crescimento, somatotrofina, ou composto 191 (191 aminoácidos), ao seu receptor na membrana plasmática, membrana celular ou plasmalema é a estrutura que delimita todas as células vivas; e 2) ações indiretas, mediadas principalmente pela regulação da síntese dos fatores de crescimento semelhantes à insulina (IGF) IGF-1 é um hormônio semelhante em estrutura molecular de insulina .

Ela desempenha um papel importante no crescimento na infância e continua a ter efeitos anabólicos em adultos( anabolizantes são uma classe de hormônios esteroides naturais e sintéticos que promovem o crescimento e divisão celular, resultando em crescimento de diversos tipos de tecido, especialmente músculos e ossos. Anabolismo é o processo que constrói moléculas maiores a partir de menores). Um análogo sintético da IGF-1, mecasermina é usado para o tratamento da insuficiência do crescimento. Tem sido demonstrado que o exercício físico é um potente estimulador da liberação do GH. Uma das maneirara de se verificar respostas de funcionamento saudável ou não da produção do HGH-hormônio de crescimento, somatotrofina, ou composto 191 (191) aminoácidos, em paciente, alem de testes mais sofisticados como o da clonidina, também é usado a dosagem basal do HGH – HORMÔNIO DE CRESCIMENTO, e o estimulo do hormônio através de exercício fisico por um limite de tempo, onde ocorrerá uma estimulação na produção do hormônio de crescimento e poderá facilitar o médico especialista (endocrinologista ou neuroendocrinologista), a obter uma resposta se está ocorrendo ou não uma alteração do parâmetro adequadamente, e poderá com experiencia eventualmente evitar teste menos agressivos. A magnitude deste aumento sofre influência de diversos fatores, em especial, da intensidade e do volume do exercício, além do estado de treinamento. Atletas, normalmente, apresentam menor liberação de GH induzida pelo exercício que indivíduos sedentários ou pouco treinados. Evidências experimentais demonstram que o GH: 1) favorece a mobilização de ácidos graxos livres do tecido adiposo para geração de energia; 2) aumenta a capacidade de oxidação de gordura e 3) aumenta o gasto energético. Esses fatores são de extrema importância para o funcionamento fisiologico da produção do HGH-homonio de crescimento, somatotrofina, ou composto 191 (191) aminoácidos, em suas ações metabólicas e funções vitais para as que geneticamente esta programado. Portanto independente de teste o crescimento esta diretamente ligado de forma intima a nutrição adequada e mais que isso, a exercícios adequados e orientados.


AUTORES PROSPECTIVOS


Dr. João Santos Caio Jr. 
Endocrinologia – Neuroendocrinologia 
CRM 20611

Dra. Henriqueta V. Caio 
Endocrinologia – Medicina Interna 
CRM 28930 


Como Saber Mais:
1. Na consulta, de início, o médico irá fazer perguntas sobre a dieta da criança, o apetite, hábitos de exercício, o padrão de defecação e qualquer problema social que possa existir...


2. A chamada "idade óssea" pode estar atrasada ou adiantada ou ser compatível com a idade da criança... 


3. O crescimento da criança será gravemente prejudicado se uma deficiência de hormônio de crescimento não for corrigida... 


AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO
DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA.



Referências Bibliográficas:
Dr. João Santos Caio Jr, Diretor Cientifico et Dra. Henriqueta Verlangieri Caio, Diretora Clinica - Van Der Häägen Brazil, São Paulo - Brasil,Susan R. Rose, MD, professor de pediatria no Hospital Infantil de Cincinnati Medical Center, University of Cincinnati College of Medicine, Ohio, USA; Susan Scott, MD, professor emérito de pediatria da Universidade do Novo México, Albuquerque, USA; Pediatric Academic Societies (PAS) e da Sociedade Asiática para Pediatric Research Reunião Anual 2011: Abstract 1.402,24. abril de 2011. Avaliado por Dr. Stephen Greene , pediatra consultor.

Contatos:
Fones: 55(11) 5087-4404 ou 6197-0305 
Nextel: 55(11) 7717-1257 
111*101625 
Rua Estela, 515 - Bloco D - 12º andar - Conj 121/122 
Paraíso - São Paulo - SP - Cep 04011-002
e-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com 
drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com 
vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com


Site Clinicas Caio
http://drcaiojr.site.med.br/
http://dracaio.site.med.br



Site Van Der Häägen Brazil 


Google Maps:

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

ENDOCRINOLOGIA – NEUROENDOCRINOLOGIA: HGH- HORMÔNIO DO CRESCIMENTO HUMANO APLICAÇÃO EM ADULTO, APESAR DE SER A MESMA SUBSTANCIA DE APLICAÇÃO EM CRIANÇA PARA CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO.

HGH - Hormônio do crescimento, somatotrofina é responsável não só por crescimento, mas também desempenha um papel na regulação do metabolismo de lipídios e proteínas e homeostase (A homeostase é um conceito abrangente que descreve os maravilhosos processos fisiológicos do corpo humano, responsáveis por manter estável o ambiente)neste caso o açúcar. A princípio o hormônio do crescimento no passado (inicial) foi isolado a partir de tecido humano o que na época causava muitos problemas. Entretanto, isto é, a sua preparação, através da metodologia, que envolvia um MIX de hipófise humana, com DNA de diversos seres humanos o que causava complicações com a transformação em Prions, rejeição e síndrome complexas que comprometiam o sistema nervoso central. Por Outro lada o avanço científico nesses últimos anos, promoveu um desenvolvimento tecnológico através do desenvolvimento da engenharia genética onde promoveu uma mudança radical criando a técnica do DNA – recombinanteque eliminou por completo os problemas através de enzima que eliminava o fator de reconhecimento do DNA incorreto, desenvolvimento inicial da utilização do HGH – hormônio de crescimento, que causava a rejeição do extrato ou mix do hormônio que era extraído de humanos e causava doenças secundarias como a formação de PRÍONS, ou seja proteínas anômalas ou doença (DCJ). Este problema já não existe mais com as evoluções científicas e deu um impulso científico positivo na aplicação inacreditável. A nova técnica modificada radicalmente, isso e para expor o HGH hormônio do crescimento através da bioengenharia pelo hormônio do crescimento, o gene é inserido em bactérias, que não causam riscos a humanos. As bactérias, em seguida, produzem hormônio do crescimento, que é purificado por vários métodos e depois embalada. Além do fato de que este HGH - hormônio do crescimento em quantidade suficiente pode ser disponibilizado, até mesmo um risco de infecção é praticamente impossível. HGH - Hormônio de crescimento ou somatropina é um neurotransmissor (hormônio) que é formado na glândula pituitária (hipófise). Lá é liberado na corrente sanguínea e exerce seu efeito em vários locais do corpo. É importante para o hormônio de crescimento incluem o crescimento linear na infância e adolescência. Mas, mesmo na idade adulta, onde desempenha na regulação do açúcar e no agregado familiar, o metabolismo da gordura que vai desencadear a obesidade, o HGH – hormônio de crescimento transforma esse açúcar essa gordura em substância energética que criará células musculares, ou seja em vez de gordura ela transformará gordura em musculatura e osso, assim como muitas outras funções corporais desempenham um papel importante. Hormônio do crescimento é feito para a vida, a concentração no sangue diminui com o aumento da idade, este é o principal motivo de sua reposição quando deficitário, e essa necessidade tem uma fim, ou seja, o fim é a própria vida, pois todas célula do homo sapiens – sapiens possuem esta substância sem a qual não é compatível com a vida.

AUTORES PROSPECTIVOS

Dr. João Santos Caio Jr.
Endocrinologia – Neuroendocrinologista
CRM 20611

Dra. Henriqueta V. Caio
Endocrinologista – Medicina Interna
CRM 28930




Como Saber Mais:
1. Existem várias maneiras para os pais poderem ajudar as crianças com baixa estatura ou com deficiência do hormônio de crescimento (somatotrofina – HGH) a lidar com seus problemas...


2. O psicólogo da escola pode avaliar se existe algum tipo de problema e oferecer soluções possíveis...
http://crescercriancasjuvenil.blogspot.com



3. As crianças de baixa estatura ou com deficiência do hormônio do crescimento devem praticar esportes de baixo impacto, como a natação, tênis, etc, citando apenas alguns...
http://crescermais2.blogspot.com



AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO
DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA.


Referências Bibliográficas:
Prof. Dr.João Santos Caio Jr, Endocrinologista,Neuroendocrinologista, Dra. Henriqueta Verlangieri Caio, Endocrinologista, Medicina Interna-Van Der Häägen Brazil – São Paulo –Brasil, Brian Stabler Ph.D. - Chapel Hill, Carolina do Norte.USA.

Contatos:
Fones: 55(11) 5087-4404 ou 6197-0305
Nextel: 55(11) 7717-1257 
ID:111*101625
Rua Estela, 515 - Bloco D - 12º andar - Conj 121/122
Paraiso - São Paulo - SP - Cep 04011-002
e-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com 
drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com 
vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com


Site Clinicas Caio


Site Van Der Häägen Brazil

Google Maps: